Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

segunda-feira, novembro 30, 2009

Bastam R$ 418 para criar igreja e se livrar de imposto

Bastam R$ 418 para criar igreja e se livrar de imposto

Bastaram dois dias úteis e R$ 218,42 em despesas de cartório para a reportagem da Folha criar uma igreja. Com mais três dias e R$ 200, a Igreja H. do S.E. já tinha CNPJ, o que permitiu aos seus três fundadores abrir uma conta bancária e realizar aplicações financeiras livres de IR (Imposto de Renda) e de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Seria um crime perfeito, se a prática não estivesse totalmente dentro da lei. Não existem requisitos teológicos ou doutrinários para a constituição de uma igreja. Tampouco se exige um número mínimo de fiéis.

Basta o registro de sua assembleia de fundação e estatuto social num cartório. Melhor ainda, o Estado está legalmente impedido de negar-lhes fé. Como reza o parágrafo 1º do artigo 44 do Código Civil: "São livres a criação, a organização, a estruturação interna e o funcionamento das organizações religiosas, sendo vedado ao poder público negar-lhes reconhecimento ou registro dos atos constitutivos e necessários ao seu funcionamento".

A autonomia de cada instituição religiosa é quase total. Desde que seus estatutos não afrontem nenhuma lei do país e sigam uma estrutura jurídica assemelhada à das associações civis, os templos podem tudo.

A Igreja H. do S.E., por exemplo, pode sem muito exagero ser descrita como uma monarquia absolutista e hereditária. Nesse quesito, ela segue os passos da Igreja da Inglaterra (anglicana), que tem como "supremo governador" o monarca britânico.

Livrar-se de tributos é a principal vantagem material da abertura de uma igreja. Nos termos do artigo 150, VI, b da Constituição, templos de qualquer culto são imunes a impostos que incidam sobre o patrimônio, a renda e os serviços, relacionados com suas finalidades essenciais.

Isso significa que, além de IR e IOF, igrejas estão dispensadas de IPTU (imóveis urbanos), ITR (imóveis rurais), IPVA (veículos), ISS (serviços), para citar só alguns dos vários "Is" que assombram a vida dos contribuintes brasileiros. A única condição é que todos os bens estejam em nome do templo e que se relacionem a suas finalidades essenciais -as quais são definidas pela própria igreja.

O caso do ICMS é um pouco mais polêmico. A doutrina e a jurisprudência não são uniformes. Em alguns Estados, como São Paulo, o imposto é cobrado, mas em outros, como o Rio de Janeiro e Paraná, por força de legislação estadual, igrejas não recolhem o ICMS nem sobre as contas de água, luz, gás e telefone que pagam.

Certos autores entendem que associações religiosas, por analogia com o disposto para outras associações civis, estão legalmente proibidas de distribuir patrimônio ou renda a seus controladores. Mas nada impede -aliás é quase uma praxe- que seus diretores sejam também sacerdotes, hipótese em que podem perfeitamente receber proventos.

A questão fiscal não é o único benefício da empreitada. Cada culto determina livremente quem são seus ministros religiosos e, uma vez escolhidos, eles gozam de privilégios como a isenção do serviço militar obrigatório (CF, art. 143) e o direito a prisão especial (Código de Processo Penal, art. 295).

Na dúvida, os filhos varões dos sócios-fundadores da Igreja H. foram sagrados minissacerdotes. Neste caso, o modelo inspirador foi o budismo tibetano, cujos Dalai Lamas (a reencarnação do lama anterior) são escolhidos ainda na infância.

Voltando ao Brasil, há até o caso de cultos religiosos que obtiveram licença especial do poder público para consumir ritualisticamente drogas alucinógenas.
Desde os anos 80, integrantes de igrejas como S.D., U. do V., A B. estão autorizados pelo Ministério da Justiça a cultivar, transportar e ingerir os vegetais utilizados na preparação do chá ayahuasca -proibido para quem não é membro de uma dessas igrejas.

Se a Lei Geral das Religiões, já aprovada pela Câmara e aguardando votação no Senado, se materializar, mais vantagens serão incorporadas. Templos de qualquer culto poderão, por exemplo, reivindicar apoio do Estado na preservação de seus bens, que gozarão de proteção especial contra desapropriação e penhora.

O diploma também reforça disposições relativas ao ensino religioso. Em princípio, a Igreja H. poderá exigir igualdade de representação, ou seja, que o Estado contrate professores de heliocentrismo.

Bookmark and Share

sábado, novembro 28, 2009

Vídeo do Requião comendo semente de mamona !

Marcadores: ,

Bookmark and Share

sexta-feira, novembro 27, 2009

Remanejamento de Seção / Zona Eleitoral

Remanejamento de Seção/Zona eleitoral. Não sei se vocês estão sabendo, mas está havendo um Remanejamento de Seção/Zona eleitoral.

Dêem uma olhada no local em que vocês votam, se tiver um cartaz escrito
"SE VOCÊ VOTA NESTA ESCOLA, PROCURE O SEU CARTÓRIO ELEITORAL, O MAIS BREVE POSSÍVEL", vocês terão que fazer este remanejamento e pelo que fiquei sabendo a maioria das escolas está com este cartaz.

Acesse o site do TRE-SP e veja se você está na lista dos remanejados. O TRE/SP começou no dia 17 de agosto a remanejar eleitores de seções da
Capital - veja se você está na lista - caso esteja, não deixe para depois. Compareça ao Cartório Eleitoral e garanta a vantagem de remanejar sem filas. Em breve serão divulgadas as seções para o remanejamento no interior de São Paulo.


No site abaixo. a procura pode ser realizada pelo nome, data de nascimento
e nome da mãe:

Bookmark and Share

Diálogo entre um pai bambi e um filho bambi (piada para descontrair)

Diálogo entre um pai bambi e um filho bambi

FILHO - Pai, por que o senhor sempre diz que tenho que ser São paulino?

PAI - Porque o São Paulo é o melhor time do mundo. É o tricolor!

FILHO - Mas ele não foi rebaixado para a segunda divisão do campeonato paulista de 1990 e tiveram que fazer uma manobra para trazê-lo de volta?

PAI - É verdade. Mas isso só aconteceu por causa de uma trapalhada da Federação Paulista, e, além do mais, já faz muito tempo.

FILHO - Mas em 1990 ele também não perdeu o título brasileiro pro Corinthians?

PAI - É, meu filho, perdeu. Mas eram outros tempos, aquele time estava sendo formado, o Corinthians tinha Ronaldo, Neto, o estádio todo a favor. Deixa pra lá.

FILHO - Mas, Pai, o Morumbi não é o estádio do São Paulo? Então como é que tinha mais corintiano?

PAI - Eles estavam empolgados porque não acreditavam naquele time e de repente foram pra final. É isso!

FILHO - Mas, Pai, dos 10 maiores públicos da história do Morumbi, 6 são do Corinthians, sendo que o recorde absoluto com mais de 145 mil pessoas em 1977 também é dele. O dono do estádio não deveria ter esses recordes?

PAI - Tá, filhão, tudo bem, a torcida deles é maior que a nossa, vai muito mais ao estádio, e daí? Isso não ganha jogo.

FILHO - Mas, então por que nos confrontos diretos o placar está em 105 vitórias do Corinthians contra 86 do São Paulo?

PAI - Merda, filho. Isso é porque eles deram muita sorte contra a gente. Não mereciam ganhar metade desses jogos. O que importa é que temos mais mundiais que eles.

FILHO - Mas, Pai, minha professora de geografia me ensinou que o mundo tem 5 continentes: América, Ásia, Oceania, Europa e África. Se a final era entre um time da América do Sul contra um europeu, pode ser chamado de mundial? Na Europa eles chamam isso de "Torneio Intercontinental". 1 continente e ½ é mundo, pai?

PAI - Não interessa! Isso vale muito mais do que aquele torneio de verão que o Corinthians ganhou.

FILHO - Mas aquele torneio de verão teve os campeões dos 5 continentes, mais o campeão do país sede, que, por acaso, era o Brasil e que, por acaso, tinha o Corinthians como bi-campeão nacional. Além disso, tinha a chancela da FIFA, enquanto o do Japão só tinha o da montadora de veículos, não é mesmo? Então está 1 a 1 em títulos mundiais não é, pai?

PAI - Cê tá de sacanagem, né, filho?! Que conversa é essa?

FILHO - Sabia que a Copa Toyota nem existe mais, pai? Se era tão boa, por que acabou?

PAI - É que agora a FIFA resolveu fazer um mundial oficial dela, com representantes de todos os continentes.

FILHO - Ah, entendi. Como aquele de 2000, né, pai?

PAI - AAAAAIIIIIIII, que raaaaaaaaaaiva! É, filho, como aquele de 2000.

FILHO - Pai, por que a copa Toyota era transmitida para cerca de 30 países com audiência estimada em 400 milhões de pessoas e o Mundial de 2000 foi transmitido para 63 países com audiência superior a 1,5 bilhão?

PAI - Não sei, moleque. Pára de fazer pergunta cretina!

FILHO - É cretinice perguntar por que a maior audiência da história do SBT foi a final da Copa do Brasil de 95, vencida pelo Corinthians, com 45 pontos de audiência, a maior audiência da história da Band foi a final do Mundial da FIFA de 2000, vencido pelo Corinthians, com 53 pontos de audiência, e dos últimos 20 recordes de audiência esportiva da rede Globo 11 são do Corinthians?

PAI - Caralho, moleque! O que é isso? Resolveu pegar no meu pé agora?

FILHO - Claro que não, Pai. Mas, não importa. Vamos falar de grandes personalidades do mundo, afinal estou vendo que o senhor já está ficando estressado. A maior cantora do Brasil de todos os tempos, Elis Regina, essa era sãopaulina, né, pai?

PAI - Não! Corintiana.

FILHO - Tudo bem, mas o maior ídolo do esporte brasileiro de todos os tempos, Ayrton Senna, esse era campeão, tinha que ser sãopaulino, não é mesmo?

PAI - Não! Corintiano.

FILHO - Beleza, Pai. Não estressa! Vamos sair do esporte. O homem mais rico do Brasil, o maior empresário que existe no país, Antonio Ermírio de Moraes, esse sim é tricolor, não é?

PAI - Não! Corintiano.

FILHO - Porra, pai. Tá ficando difícil. Vamos mudar de novo. O presidente da república, o homem mais importante da nação. Esse só pode ser tricolor.

PAI - Não! Corintiano.

FILHO - E o anterior a ele, o Fernando Henrique, esse sim, hein, Pai?

PAI - Não! Corintiano.

FILHO - Mas o outro antes dele era, né, Pai? O Itamar.

PAI - Não! Corintiano também.

FILHO - Caramba, pai! Assim não tem jeito. Vamos mudar de sexo, então. Vamos falar das mulheres. A grande Marta, melhor jogadora do mundo do futebol feminino, a Hortência, maior jogadora de todos os tempos do basquete, a Dayane dos Santos, maior ginasta do país, pelo menos uma delas é são paulina, não é mesmo?

PAI - Não! Todas corintianas!

FILHO - Tá de sacanagem, né, Pai?! Ninguém importante é são paulino?

PAI - Claro que sim... tem sim. Aquele... o grande, o internacionalmente conhecido vocalista do Ira, o Nasi! PAI - Chegaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, moleque! Assim não dá! O que mais você quer saber? Já cansei dessas perguntas irritantes.

FILHO - Tá bom, Pai, acho que exagerei. Vamos fazer o seguinte, me leva pro Morumbi, vamos ver um jogo do tricolor.

PAI - Não dá!

FILHO - Por que, pai?

PAI - Porque estamos sem o carro.

FILHO - Tudo bem, vamos de metrô!

PAI - Não passa lá.

FILHO - Tá, então vamos de ônibus.

PAI - Só pegando dois e ainda corremos o risco de não ter pra volta por causa do horário.

FILHO - Caramba, Pai. De que vale ter um estádio grande se a gente não pode ir pra lá numa quarta-feira à noite? O Pacaembú é alugado, mas a torcida do Corinthians pode ir. Será que é por isso que toda quarta-feira eles jogam pra 20, 30 mil pessoas enquanto o São Paulo joga pra 3 mil?

PAI - (RESPIRA FUNDO E CONTA ATÉ MIL)

FILHO - Calma, paizinho, não fique nervoso. Sempre somos melhores em alguma coisa. Pelo menos somos chamados de bambis enquanto eles são chamados de gambás. Bambi é um bicho forte, valente, perigoso, voraz, não é pai?

PAI - (CHORANDO) Nããããooo, seu desgraçado! Não é! É um personagem de Walt Disney. Tá satisfeito agora, seu bobo? !!!

FILHO - (MUITO P...) Chega, Pai! Assim não dá. Eles tem mais torcida, mandam no nosso estádio, tem mais vitórias em cima da gente, tem mais torcedores ilustres, jogam em um estádio bem localizado, tem apelido macho, enquanto somos chamados de bambis, dão mais audiência na TV e o senhor ainda quer que eu seja sãopaulino, pai?

PAI - (UM SILÊNCIO SEM FIM)

Bookmark and Share

Estacionamento grátis em shopping de SP é suspenso

Estacionamento grátis em shopping de SP é suspenso

Por Vitor Hugo Brandalise, Agencia Estado

O desembargador Luiz Edmundo Marrey Uint, do órgão especial do Tribunal de Justiça de São Paulo, concedeu na tarde de hoje decisão liminar que suspende a lei estadual 13.189. A norma foi publicada na segunda e previa gratuidade de estacionamento em shopping centers para clientes que gastarem pelo menos dez vezes o valor da taxa do serviço.

Com isso, até que o mérito seja julgado novamente pelo Tribunal, o serviço volta a ser cobrado. A ação foi proposta pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), que entrou na Justiça com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN).

O texto estabelece que o consumidor deve apresentar notas fiscais que comprovem a data e o valor da compra. A gratuidade só vale para quem permanecer por até seis horas nas dependências do shopping center.

Caso o cliente ultrapasse esse período, será cobrada a taxa correspondente, de acordo com a tabela de preços do estacionamento. A lei também estabelece que a permanência do veículo por até 20 minutos no local deverá ser gratuita. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Marcadores:

Bookmark and Share

quinta-feira, novembro 26, 2009

Festa de final de ano! Muito boa!

FESTA DE FINAL DE ANO

Patrícia Gomes - Diretora de Recursos Humanos

COMUNICADO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS.

Data: 01 de dezembro

Assunto: Festa de Natal

Tenho o prazer de informar que a festa de Natal da empresa será no dia 23 de dezembro, com início ao meio-dia, no salão de festas privativo da Churrascaria Grill House. O bar estará aberto com várias opções de bebidas. Teremos uma pequena banda tocando canções tradicionais de natal...sinta-se à vontade para se juntar ao grupo e cantar! A árvore de Natal terá suas luzes acesas às 13:00. A troca de presentes de amigo secreto pode ser feita a qualquer momento, entretanto, nenhum presente deverá exceder R$20,00, a fim de facilitar as escolhas e adequar os gastos a todos os bolsos.

Boas festas para vocês e suas famílias,

Patrícia

_______________________________________________________________________

Patrícia Gomes - Diretora de Recursos Humanos

COMUNICADO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS.

Data: 02 de dezembro

Assunto: Festa de Natal

De maneira alguma nosso memorando de 01 de dezembro pretendeu excluir nossos funcionários judeus! Reconhecemos que o Chanukah é um feriado importante e que costumam coincidir com o Natal, mas isso não aconteceu este ano. De qualquer forma, passaremos a chamá-la de 'Festa de Final de Ano'. A mesma política se aplica a todos os outros funcionários que não sejam cristãos e àqueles que ainda celebram o Dia da Reconciliação.

Não haverá árvore de Natal. Nada de canções de natal nem coral.

Teremos outros tipos de música para seu entretenimento.

Felizes agora?

Boas festas para vocês e suas famílias,

Patrícia

_______________________________________________________________________

Patrícia Gomes - Diretora de Recursos Humanos

COMUNICADO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS.

Data: 03 de dezembro

Assunto: Festa de Natal

Com relação ao bilhete que recebi de um membro do Alcoólicos Anônimos solicitando uma mesa para pessoas que não bebem álcool... você não assinou seu nome! Fico feliz em atender o pedido, mas se eu puser uma placa na mesa 'Exclusivo para AA', vocês não serão mais anônimos ... Como faço então? Nenhuma troca de presentes será permitida, uma vez que os membros do sindicato acham que R$20,00 é muito dinheiro e os executivos acham que $20,00 é muito pouco para um presente.

NENHUMA TROCA DE PRESENTES SERÁ PERMITIDA, certo?

Patrícia

_______________________________________________________________________

Patrícia Gomes - Diretora de Recursos Humanos

COMUNICADO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS.

Data: 07 de dezembro

Assunto: Festa de Natal

Eu não sabia que no dia 20 de dezembro começa o mês sagrado do Ramadan para os muçulmanos, que proíbe comer e beber durante as horas do dia. Talvez a hurrascaria Grill House possa segurar o serviço de bufê até o fim do dia - ou então, embalar tudo para que vocês levem para casa nas marmitas. O que vocês acham disso?

Novidades: neste meio tempo, consegui que os membros do Vigilantes do Peso sentem o mais longe possível do bufê de sobremesas; as mulheres grávidas sentem-se o mais perto possível dos banheiros; teremos assentos mais altos para pessoas baixas e comida com baixa-caloria estará disponível para os que estão de dieta.

Nós não podemos controlar a quantidade de sal utilizada na comida.

Desta forma, sugerimos para estas pessoas com pressão alta provar o gosto primeiro. Haverá frutas frescas de sobremesa para os diabéticos. O restaurante não dispõe de sobremesas sem açúcar.

Nossas profundas desculpas.

Esqueci de alguma coisa?

Patrícia

_______________________________________________________________________

Patrícia Gomes - Diretora de Recursos Humanos

COMUNICADO PARA TODOS FILHOS DA PUTA QUE TRABALHAM NESTA EMPRESA.

Data: 08 de dezembro

Assunto: Festa de Natal DO CARALHO

Vegetarianos!?!?!??! Sim, vocês também tinham que dar sua opinião de merda ou reclamar de alguma coisa!!! Nós manteremos o local da festa na Churrascaria Grill House; quem não gostar, foda-se! Então, como alternativa, seus putos, vocês podem sentar-se quietinhos na mesa mais distante possível da tal 'churrasqueira da morte' - como vocês se referiram de forma bastante depreciativa ao utensílio. E vocês terão também sua mesa de saladas de merda, incluindo tomates hidropônicos da casa do caralho & arrozinho grudento pra comer de pauzinho. Aqueles que, naturalmente, ainda não gostaram, podem enfiar tudo no c..

Ah, espero que vocês todos tenham uma bosta de festa de final de ano!

E que dirijam muito, muito bêbados e morram todos, todinhos esturricados por aí.

Escutaram?

A Vaca, diretamente da puta que os pariu.

_______________________________________________________________________

Dr. Pacheco - Diretor de Recursos Humanos INTERINO

COMUNICADO PARA TODOS OS funcionários

Data: 10 de dezembro

Assunto: Patrícia Gomes e Festa de Final de Ano

Tenho certeza que falo por todos desejando para a Patrícia Gomes um rápido restabelecimento para sua crise de stress. Por conta deste fato, a diretoria decidiu cancelar a Festa de Final de Ano e dar folga remunerada para todos na tarde do dia 23 de dezembro.

Boas Festas,

Marcadores:

Bookmark and Share

Adendo à Lei da gratuidade nos estacionamentos

Lei prevê estacionamento gratuito em shoppings de SP

Consumidores do estado de São Paulo já não são mais obrigados a pagar estacionamento. Foi publicada nesta terça-feira (24/11), no Diário Oficial do Estado de São Paulo, a Lei 8.319. Com a nova regra, basta comprovar gastos de pelo menos dez vezes o valor da taxa cobrada, para se livrar o pagamento. Em vigor desde a publicação, a lei foi promulgada depois que o governador do Estado José Serra já havia vetado a iniciativa. Segundo o portal Terra, os lojistas já entraram com uma liminar pedindo a revogação da lei.

A lei prevê que os consumidores devem apresentar notas com data das compras feitas no mesmo dia. A gratuidade só valerá se o cliente permanecer, no máximo, por 6 horas no interior do centro comercial. Passado esse limite, começam a valer as taxas cobradas normalmente. Deve ser gratuita, de qualquer forma, a permanência no estacionamento pelo período de até 20 minutos.

A Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop), afirma que a lei é inconstitucional e que os custos desta desoneração serão repassados das administradoras para os lojistas, que repassarão aos clientes. "Somente a União pode legislar sobre propriedade privada. Em consequência, os shoppings já estão entrando com uma liminar para continuar a cobrança, trabalhando para que a lei seja revogada o mais rápido possível, como foi no Rio de Janeiro", afirma a Alshop em nota oficial.

No texto do projeto de lei do deputado Rogério Nogueira (PDT), ele afirma que a iniciativa "certamente traria um incremento à arrecadação de ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) por parte do Estado, uma vez que o projeto prevê que o benefício da gratuidade só será concedido através apresentação de notas fiscais".

Veja a lei abaixo:

LEI Nº 13.819, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2009
(Projeto de lei nº 1286, de 2007, do Deputado Rogério Nogueira - PDT)
Dispõe sobre a cobrança da taxa de estacionamento por “shopping centers”.

O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA:
Faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu promulgo, nos termos do artigo 28, § 8º, da Constituição do
Estado, a seguinte lei:

Artigo 1º - Ficam dispensados do pagamento das taxas referentes ao uso de estacionamento, cobradas por “shopping
centers” instalados no Estado de São Paulo, os clientes que comprovarem despesa correspondente a pelo menos 10 (dez)
vezes o valor da referida taxa.
§ 1º - A gratuidade a que se refere o “caput” só será efetivada mediante apresentação de notas fiscais que comprovem a
despesa efetuada no estabelecimento.
§ 2º - As notas fiscais deverão, necessariamente, datar do mesmo dia em que o cliente fizer o pleito de gratuidade.
Artigo 2º - A permanência do veículo, por até 20 (vinte) minutos, no estacionamento dos estabelecimentos citados no
artigo 1º deverá ser gratuita.

Artigo 3º - O benefício previsto nesta lei só poderá ser percebido pelo cliente que permanecer por, no máximo, 6 (seis)
horas no interior do “shopping center”.
§ 1º - O tempo de permanência do cliente no interior do estabelecimento deverá ser comprovado por meio da emissão
de um documento quando de sua entrada no respectivo estacionamento.
§ 2º - Caso o cliente ultrapasse o tempo previsto para a concessão da gratuidade, passará a vigorar a tabela de preços
de estacionamento utilizada normalmente pelo estabelecimento.
Artigo 4º - Ficam os “shopping centers” obrigados a divulgar o conteúdo desta lei por meio da colocação de cartazes em
suas dependências.
Artigo 5º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, aos 23 de novembro de 2009.

BARROS MUNHOZ - Presidente
Publicada na Secretaria da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, aos 23 de novembro de 2009.
Marcelo Souza Serpa - Secretário Geral Parlamentar

Bookmark and Share

quarta-feira, novembro 25, 2009

Estacionamento 'gratuito' em Shopping Center de São Paulo

Estacionamento 'gratuito' em Shopping Center de São Paulo

Foi promulgada no âmbito no Estado de São Paulo a lei 13.819 de 23/11/09, sendo esta publicada no Diário Oficial do Estado em 24/11/09, cuja lei trás a isenção do estacionamento em shopping nos seguintes termos:

a) É isento de pagamento no estacionamentos dos shopping todo o cliente que, ali permanecer por até 20 minutos;

b) Isento também será o cliente que, permanecer pelo prazo máximo de 6 horas, comprovando com notas e ou cupom fiscal, gastos em lojas no valor superior a 10 vezes o valor do estacionamento.

Esta lei entrou em vigor da data de 24/11/2009.

Fiquem atentos e exijam seus direitos.

Marcadores: ,

Bookmark and Share

A frase tem 2064 anos e parece que foi escrita ontem ...

A frase tem 2064 anos e parece que foi escrita ontem ...


Bookmark and Share

Where the Hell is Matt? - Uma das coisas mais loucas da Internet!

Bookmark and Share

quarta-feira, novembro 18, 2009

Já viram coisa igual?

Bookmark and Share

terça-feira, novembro 17, 2009

PROVA DO VESTIBULAR - UNIBAN 2010

Marcadores:

Bookmark and Share

segunda-feira, novembro 16, 2009

Pedidos de Indenização por Danos Elétricos (PID) da Eletropaulo

Pedidos de Indenização por Danos Elétricos (PID) da Eletropaulo


Atenção, clientes: Pedidos de Indenização

Embora não tenha sido responsável pelo apagão ocorrido no dia 10/11 em São Paulo e em pelo menos mais 9 estados brasileiros, a AES Eletropaulo informa que analisará normalmente todos os Pedidos de Indenização por Danos Elétricos (PID) de seus clientes dentro do prazo estipulado pela Aneel.

O pedido deve ser apresentado pelo cliente em até 90 dias após a ocorrência. Devem ser observadas as seguintes informações:
- Data e horário da ocorrência que possa ter provocado algum dano ao equipamento;
- Relato do problema apresentado pelo equipamento;
- Descrição das características gerais do equipamento danificado, tais como: marca, modelo, tensão, etc.

O serviço pode ser solicitado pela
Agência Virtual (clicar em Mais Serviços), nas Lojas e Rede Conveniada de Atendimento ou pelo telefone 0800 72 72 120.
Para facilitar seu atendimento, tenha em mãos uma conta de energia e o número do CPF do titular.

Marcadores: , ,

Bookmark and Share

Antes de comprar, 90% dos internautas pesquisam produtos e serviços na web

Antes de comprar, 90% dos internautas pesquisam produtos e serviços na web

Por: Equipe InfoMoney
12/11/09 - 16h05
InfoMoney

SÃO PAULO - A internet está se tornando uma grande fonte de pesquisa de preços e mercadorias. Hoje, vários sites permitem que os usuários façam compras.

Segundo pesquisa realizada pela In Press Porter Novelli, em parceria com a E.Life, 90% dos entrevistados disseram que preferem pesquisar opções de serviços e produtos na internet, antes de fazer as
compras.

Além disso, a internet também está sendo utilizada como fonte de divulgação e recomendação destes produtos. De acordo com a pesquisa realizada com mais de 1.200 pessoas, 43% delas recomendam produtos e serviços para outras pessoas na web. Para as empresas, esse pode ser o caminho para a divulgação gratuita das suas mercadorias.

Por outro lado, da mesma forma que as pessoas fazem recomendações, elas também podem criticar. Cerca de 27% dos Twitteiros fazem reclamações sobre produtos ou serviços. Já nos
blogs, esse número é de 15%

Perfil dos internautas

Os homens representam cerca de 63% dos entrevistados na pesquisa e as mulheres, em torno de 36%. A média de idade dos entrevistados é de 28 anos, sendo que a maioria tem alta renda familiar, trabalha, estuda e tem nível superior completo.

Os internautas navegam na rede cerca de 41 horas por semana. Cerca de 63% dos usuários do Twitter e 44,7% dos blogueiros ficam mais de 41 horas semanais on-line. Já entre os usuários do Orkut, 28,8% navegam pela internet menos de 16 horas por semana.

Sites mais visitados

Blogs, Twitter, Orkut e Youtube são os sites mais visitados pelos internautas. Os usuários do Orkut são representados por 89,6% dos entrevistados pela pesquisa da In Press Porter com a E.Life. O Twitter vem em segundo lugar, com 80,1%. Em terceiro, vem o YouTube, seguido de blogs e FaceBook.

Marcadores: ,

Bookmark and Share

Sua mente e a nova economia

Como psicólogos, estatísticos, neurocientistas (e até economistas!) trabalham para decifrar o cérebro de consumidores e investidores e reescrever a teoria econômica que há um ano levou o mundo à crise

Por Alexandre Teixeira e Edson Porto

Em laboratórios médicos assépticos, como o Centro de Ciências de Neuroimagem, em Londres, uma revolução econômica é tramada. Separados da ação por vidros grossos, neuroeconomistas observam a entrada de cobaias humanas em câmaras do tamanho de um automóvel e 32 toneladas de peso. Normalmente entra-se nessas máquinas para diagnosticar tumores não detectados por tomógrafos convencionais. Neste caso, voluntários são pagos para participar de jogos que simulam situações de consumo, aplicações financeiras ou poupança. Esse gigantesco equipamento – adquirido por um punhado de centros de pesquisa espalhados pelo mundo, ao custo de até US$ 4 milhões – produz o que os neurocientistas chamam de Imagem por Ressonância Magnética Funcional. O aparelho rastreia, com precisão milimétrica, o cérebro do voluntário, medindo a quantidade de sangue oxigenado nas diferentes áreas que o compõem e identificando quais delas “acendem”, destacando-se em vermelho fogo, quando tomamos decisões de compra ou investimento.

Pesquisadores de mercado já sabiam que, ao provar o mesmíssimo vinho apresentado em garrafas de R$ 20 e de R$ 100, consumidores dizem preferir o mais caro. Com auxílio da ressonância magnética, descobriu-se que um gole do vinho de R$ 100 efetivamente “acende” mais o córtex orbitofrontal (área do cérebro sensível a recompensa e punição) do que o de R$ 20. Do mesmo modo, usando a neurociência para entender a aversão ao risco, pesquisadores constataram que o medo de perder dinheiro é um processo químico no cérebro do investidor. Uma experiência conduzida na Alemanha replicou uma situação de tomada de decisão, pedindo a voluntários monitorados por tomógrafos que escolhessem entre fundos de investimento domésticos e estrangeiros. O teste revelou níveis de atividade significativamente mais altos nas áreas do cérebro identificadas com o medo de prejuízos quando os participantes analisavam fundos com ativos fora da Alemanha – mesmo que eles não fossem intrinsecamente mais arriscados.

A ressonância magnética é uma das ferramentas importantes da neuroeconomia, uma das ciências multidisciplinares que se apresentam como linhas auxiliares do esforço acadêmico e empresarial para resgatar a economia do beco sem saída em que se viu metida desde a eclosão da Crise de 2008. Há técnicas mais complexas (e assustadoras), como a Tomografia com Emissão de Pósitrons, que exige a injeção de soluções radioativas no cérebro para a realização de experiências, ou os estudos de pacientes com lesões cerebrais. A finalidade, no entanto, é a mesma. Entender, de verdade, como funciona o cérebro econômico de homens e mulheres de carne e osso – e livrá-los das abstrações grosseiras que os transformaram em máquinas obstinadamente racionais de tomar decisões. Economistas de boa-fé agora admitem que simplificaram demais as coisas e construíram teorias sobre os mercados tratando consumidores e investidores como caixas-pretas. Seus colegas nos laboratórios de neurociência se oferecem para abri-las.

Usando a neurociência para entender a aversão ao risco, pesquisadores
descobriram: o medo de perder dinheiro é um processo químico cerebral

“Pensar sobre como o cérebro implementa decisões econômicas, comparado a pensar sobre escolhas resultantes de preferências e crenças, é como trocar a TV em preto e branco por uma em cores”, compara Colin Camerer, um dos pioneiros da neuroeconomia. A imagem resultante não é bonita como a do homo economicus, ser mitológico que habita os livros-texto de economia e foi debochadamente descrito pelo economista comportamental Richard Thaler como capaz de “pensar como Albert Einstein, armazenar tanta memória quanto o Big Blue da IBM e ter a força de vontade de Mahatma Gandhi”. Na TV em cores da neuroeconomia, fica claro que o tal homem econômico não existe, é fruto da imaginação pouco fértil dos economistas ortodoxos. Com seu cérebro escaneado, homens e mulheres surgem emocionais, contraditórios, medrosos – em suma, humanos. É sobre essa gente de verdade que um grupo de pensadores originais se propõe a mergulhar.

Tido por muitos como o pai da economia comportamental, Thaler acredita que a crise que abalou as finanças globais terá impacto profundo na forma de pensar dos economistas. Aos 64 anos, ele diz que, ao longo de sua carreira, nunca havia visto seus colegas tão envolvidos com uma crise econômica contemporânea. “Economistas raramente falam de economia no almoço ou no café. Agora é tudo o que eles discutem”, disse a Época NEGÓCIOS, de sua casa, em Chicago. Para Thaler, a Crise de 2008 será “um ponto de inflexão para a teoria econômica, como foi a Grande Depressão na primeira metade do século passado”. Segundo ele, os economistas levaram muito tempo para entender o significado da Crise de 1929, mas ela alterou – e, em alguns casos, enterrou – teorias econômicas amplamente aceitas nas décadas anteriores. Thaler entende que o mesmo pode acontecer agora, embora acredite que esse será um processo longo e tortuoso. “Ainda estaremos estudando esta crise daqui a 30 anos.”

Se a sociedade culpa os banqueiros por tudo o que aconteceu de meados de 2007 para cá, há na academia quem aponte dedos acusadores para teóricos do pensamento econômico. “A profissão de economista deve ficar com muito da culpa pela crise. Se for para se tornar útil de novo, ela deve passar por uma revolução intelectual – tornando-se ao mesmo tempo mais ampla e humilde”, escreveu Anatole Kaletsky, comentarista econômico do Times, de Londres. No mundo todo, intelectuais que passaram os últimos anos de castigo, acusados de contrariar o senso comum, levantam a voz para condenar quem os condenou. “A crise fala por si. As anomalias foram grandes demais”, diz o ex-ministro Luiz Carlos Bresser Pereira. “O mundo está aberto a novas ideias.”

A ressonância magnética funcional permite rastrear com precisão os cérebros de voluntários e identificar as áreas que “acendem” quando tomamos decisões econômicas.

Ainda nesta matéria
Página 1 de 14
Próxima Página: CAPITALISMO 2.0

Bookmark and Share

sexta-feira, novembro 13, 2009

Pra tudo dá-se um jeito

Fonte: There I Fixed It

Marcadores:

Bookmark and Share

domingo, novembro 08, 2009

Rainha da Inglaterra com 11 presidentes dos EUA

Impressionante, essa rainha da Inglaterra, já encontrou 11 presidentes dos EUA

Bookmark and Share

Como reconhecer um AVC, estas dicas podem salvar uma vida !


Como reconhecer um AVC. Leiam e repassem

Se todos podem lembrar algo tão simples como o que será descrito abaixo, poderemos ajudar a salvar algumas pessoas.

Durante um piquenique, uma amiga chamada Ingrid tropeçou e teve uma pequena queda - ela assegurou a todos que estava bem (eles ofereceram-se para chamar uma ambulância)... Ela disse que apenas tinha tropeçado por causa dos sapatos novos.

Os amigos limparam-na e arranjaram-lhe um novo prato de comida. Enquanto ela parecia um pouco abalada, Ingrid continuou a divertir-se o resto da tarde.

O marido da Ingrid chamou mais tarde para dizer a todos que a sua mulher estava no hospital (as 6:00h da manhã a Ingrid faleceu). Ela tinha sofrido um AVC (Stroke) durante o piquenique. Se eles tivessem identifica os sinais do AVC, talvez a Ingrid ainda estivesse viva. Algumas pessoas não morrem... ficam incapacitadas e com graves sequelas.

Os neurologistas dizem que se conseguirem chegar até uma vitima de AVC dentro de 3 horas, ele pode reverter totalmente os efeitos do AVC... Ele diz que o truque está em reconhecer os sinais de AVC, diagnosticar, e obter assistência médica no prazo de 3 horas, o que não é fácil.

As vezes os sintomas do AVC são difíceis de identificar. A vitima pode sofrer danos mentais muito graves quando as pessoas mais próximas falham em reconhecer os sintomas básicos de um AVC.

Vejam como é fácil identificar um AVC: Lembre-se das 3 letras de STROKE: S, T e R.

S - Peça à pessoa para sorrir (Smile)
T - Peça para ela dizer (Talk) uma frase simples e coerente (ex: Está um dia lindo!!!)
R - Peça para que levante (Raise) os dois braços.

Se a pessoa apresentar problemas para fazer alguma destas três coisas chame imediatamente e descreva os sintomas a quem atender.

Outro sinal de um AVC - Colocar a língua de fora:
Peça à pessoa para por a língua de fora ... Se a língua estiver torta ou for para um lado ou para outro, isso é indicação de AVC.

Marcadores: ,

Bookmark and Share

Piano na escada - Leia primeiro antes de ver o vídeo

Piano na escada - LEIA PRIMEIRO

Escada de metrô é transformada em piano

A ação, feita em conjunto pela agência de publicidade DDB e pela Volkswagen, foi implantada em um metrô de Estocolmo, na Suécia.
Imagine que você está descendo as escadas do metrô, como faz habitualmente todos os dias, e começa a ouvir sons de piano, tocados em ritmo que vai de acordo com os seu passos. Essa foi a proposta da agência de publicidade DDB em uma parceria com a Volkswagen.

As duas empresas se reuniram para criarem um experimento chamado, Fun Theory (algo como "teoria divertida", em inglês), uma tentativa bem ambiciosa de tentar mudar os hábitos sedentários dos moradores da capital da Suécia, Estocolmo.

Para isso, transformaram as escadas de uma estação de metrô em um piano, o que aumentou surpreendentemente o uso das escadas em 66%. O resultado você confere no vídeo.

<

Bookmark and Share

Basquete Acrobático

Bookmark and Share

PROPAGANDA DO ANO !


Bookmark and Share

Saiu no The London Times - Verdade ou Mentira?

A Well-Planned Retirement


Externamente ao England's Bristol Zoo, existe um parque de estacionamento para 150 carros e 8 ônibus. Por 25 anos, a cobrança do estacionamento era efetuada por um muito simpático atendente.

As taxas eram o correspondente a US$1.40 para carros e US$7.00 para ônibus.

Um dia, após 25 sólidos anos de nenhuma falta ao trabalho, ele simplesmente não apareceu.

A administração do Zoo, então, ligou para a Prefeitura e solicitou que enviassem um outro atendente.

A Prefeitura fez uma pequena pesquisa e respondeu que o estacionamento do Zoo era da responsabilidade do próprio Zoo, não dela. A administração do Zoo respondeu que o atendente era um empregado da Prefeitura. A Prefeitura, por sua vez, respondeu que o atendente do estacionamento jamais esteve na sua folha de pagamento.

Enquanto isso, descansando em sua bela residência em algum lugar da costa da Espanha (ou algo parecido), existe um homem que, aparentemente, instalou a máquina de cobrança por sua conta e então, simplesmente começou a aparecer, todo dia, coletando e guardando as taxas de estacionamento, estimadas em US$ 560 por dia ... por 25 anos !

Assumindo que ele trabalhava os 7 dias da semana, arrecadou algo em torno de US$7 milhões de dólares.

E ninguém sabe, nem mesmo, seu nome ...

Bookmark and Share

Boas ideias fazem dinheiro - Marketing é tudo !

Muito interessante o marketing português voltado para a maximização da renda do mendigo !

Marcadores:

Bookmark and Share

Situe-se no mapa político, veja quem você é politicamente

Situe-se no mapa político.
Veja quem você é politicamente.
Seja sincero nas suas respostas.
São 20 perguntas inteligentes.

Clique no link abaixo:
http://veja.abril.com.br/idade/testes/politicometro/politicometro.html

Segue abaixo o meu resultado:

Marcadores: ,

Bookmark and Share

Página não encontrada, sentimos muito! Page not found, we are sorry!


Infelizmente, não foi possível localizar a página procurada.
Sorry, we can't find the page you're looking for.

Por favor, verifique se o endereço foi digitado corretamente.
Please, certify you're typing the address correctly.

Se preferir volte para nossa Página Principal para continuar navegando em nosso site.
If you prefer, go back to our Home Page to continue navigating on our web site.

http://www.horusstrategy.com.br/

Bookmark and Share

terça-feira, novembro 03, 2009

Death bonds: O Investimento da Morte ou O Bolão Pé na Cova !

Death bonds: O Investimento da morte

Bancos de Wall Street inventam um novo jeito de ganhar dinheiro: apostar na morte das pessoas.

por Marcos Ricardo dos Santos

Eles já apostaram em quase tudo. Depois de negociar em ações e petróleo, resolveram especular com financiamentos imobiliários - e quase quebraram a economia global. Agora os bancos de Wall Street inventaram um novo jeito de tentar ganhar dinheiro apostar na morte das pessoas. Eles pretendem criar um novo tipo de investimento, que está sendo apelidado de death bond - "título da morte", em inglês - e basicamente consiste no seguinte. Os bancos compram os seguros de vida de idosos e revendem para investidores. Aí, quanto mais rápido os velhinhos morrerem, maior o ganho dos investidores.

Por incrível que pareça, já existem pelo menos 9 bancos, entre eles gigantes como Goldman Sachs e Credit Suisse, interessados na novidade. E os envolvidos dizem que isso não tem nada de mais. "Não há nada de imoral em oferecer uma oportunidade aos idosos que estejam precisando de dinheiro, afirma Will Menezes, gerente da Life Insurance Settlement Association (associação de empresas que negociam seguros de vida nos EUA). Mas o novo negócio tem detalhes de arrepiar. Com os avanços da medicina, no futuro os idosos poderão viver mais - o que faria os investidores perder dinheiro
. Por isso, os bancos pretendem selecionar pessoas com as mais variadas doenças. Acredita-se que os death bonds possam atrair US$ 160 bilhões em investimentos. Mas o governo dos EUA, cuja negligência com os bancos de investimentoajudou a detonar a crise econômica mundial, jura que está de olho neles - e acaba de formar uma comissão especial que vai fiscalizar os títulos da morte.

Rendimento macabro
!
Quanto antes o velhinho morrer, melhor.

O IDOSO
Para conseguir dinheiro, um homem (ou mulher) de 60 anos vende seu seguro de vida ao banco, que paga 40% do valor total da apólice - neste exemplo, US$ 400 mil*.

O APOSTADOR

O banco compra milhares desses seguros e agrupa em títulos financeiros (bonds), que são revendidos a investidores do mercado financeiro.

A MORTE

Agora, existem 3 possibilidades.

MORTE NA IDADE ESPERADA
Vinte anos depois, o idoso morre. O valor total do seguro
, US$ 1 milhão, vai para o investidor. Ele lucra US$ 600 mil, ou 130% do que havia aplicado. Isso dá 6,5% de ganho por ano.

MORTE PREMATURA
O idoso morre após 5 anos. O investidor recebe o US$ 1 milhão do seguro
. Seu lucro foi de 130% em apenas 5 anos - equivalente a 26% por ano de investimento. Uhu!

MORTE TARDIA
O idoso vive mais 30 anos. Os 130% de lucro, divididos por 30, dão apenas 4,33% de rendimento por ano - menos do que o investidor teria ganho aplicando em outra coisa.

Marcadores:

Bookmark and Share

Investir na Bolsa de Valores pode substituir o seu emprego?

Investir na Bolsa de Valores pode substituir o seu emprego?

Por: Julia Ramos Moreira Leite
30/10/09 - 15h05
InfoMoney

SÃO PAULO - Ao longo dos anos, investir no mercado de renda variável deixou de ser algo acessível apenas aos investidoresespecializados e se tornou a "galinha dos ovos dourados" de investidores de pequeno porte. Também, se tirarmos da análise o conturbado ano de 2008, lembramos que a bolsa brasileira vinha de nada menos que cinco anos seguidos de alta, o que torna mais difícil a tarefa de se perder dinheiro. Aplicar em ações era, salvo raras exceções, um modo garantido de elevar sua renda.

Que opção melhor para se viver, ou mesmo acumular capital para sua aposentadoria?

"Em um mercado positivo, com uma calculadora simples, usando só adição e multiplicação percebe-se que a ciranda financeira dá mais dinheiro do que ficar ralando o dia todo em projetos, atendendo pacientes, ou naquele emprego chato" , explica Márcio Santos, diretor comercial da corretora Gradual e
colunista da InfoMoney.

Mas o cenário no pós-crise não é mais o mesmo. "O bull market extraordinário de quase 20 anos que vivemos entre 1982 e 1999 acabou", afirma a MorningStar. Entretanto, o questionamento sobre os retornos dos
investimentos em ações - e, no final das contas, se é possível ficar rico com isso - permanece, dado o grande avanço dos mercados de renda variável nos últimos meses. "Muitos investidores ainda acreditam que grande parte de suas aposentadorias será baseada nos retornos do mercado de renda variável", aponta a MorningStar. Então, afinal, é possível viver de ações?

O investidor e as ações

Um dos fatores que mais contribui com o valor gerado por um portfólio é o próprio investidor. Ou, em outras palavras, o dinheiro aplicado por ele em seu portfólio pode ser mais significativo, em longo prazo, do que os retornos do mercado.

Segundo a MorningStar, em determinados cenários de investimento (como mostra o gráfico abaixo), a contribuição do investidor pode corresponder por até 73% do valor gerado pelas aplicações em 10 anos, mesmo em um ambiente de retornos de mercado considerado "saudável" - de 6% ao ano. Até mesmo considerando um forte bull market por mais de 10 anos - o que é, no mínimo, uma probabilidade arriscada - as aplicações feitas pelo próprio investidor em seu portfólio ainda representariam mais da metade dos ganhos.

O cenário permanece o mesmo no caso de um investimento ainda mais longo - 20 anos. Para que os retornos do mercado ultrapassem o montante investido, é preciso que o mercado tenha uma rentabilidade de 12% por 20 anos - um cenário difícil.

"A noção de que os retornos são a base dos portfólios surgiu entre aqueles que viveram o histórico bull market entre 1982 e 1999, mas os investidores não devem basear sua estratégia nisso - um mercado assim pode não acontecer novamente na sua vida."

*Fonte: MorningStar

Há coisas que você pode controlar

Além da sua própria contribuição, há outros fatores que estão sob controle do investidor - e, portanto, trazem mais segurança ao investimento. Um desses fatores parece simples, mas pode se mostrar complicado para investidores menos especializados: o que colocar na cesta, ou seja, como montar seu portfólio de investimentos. Essa é uma das melhores maneiras de se controlar os riscos de seu portfólio.

E outras que não

Entretanto, há aspectos de um investimento que estão completamente fora do controle do investidor - e mesmo do gestor. O primeiro deles é o retorno que o mercado oferece - afinal, não há como garantir uma tendência de mercado, sem nenhuma reversão, em um horizonte de investimento e longo prazo.

Assim como não é possível prever uma tendência por 10 anos com 100% de certeza, não é possível afirmar que você nunca precisará retirar aquele dinheiro - eventos inesperados acontecem não só no mercado, mas na vida dos investidores também. Por isso, não é seguro contar com aquele dinheiro incondicionalmente.

Afinal de contas, dá pra viver de bolsa?

É preciso pensar muito antes de largar um emprego fixo para viver de bolsa. Fazê-lo sem critérios ou planejamento pode ser bastante desastroso. "Lembra dos homens-bomba? Aqueles que explodem a si e aos outros, esperando encontrar 100 virgens no céu?", compara Santos. Segundo ele, todos os que pensam em viver do mercado, sem base técnica nenhuma para isso, pagarão a conta. "Para os amadores, se a bolsa cair, seu patrimônio vira pó, pois sempre tomam as decisões erradas na hora certa ou decisões certas na hora errada. Invariavelmente, só sabem comprar".

Elaine Mello, nutricionista de formação, é um exemplo de que viver de bolsa pode sim dar certo. Ela começou a operar em 2003, como hobby. "O mercado me conquistou", explica. Em 2006, ela deixou a profissão e passou a operar de maneira autônoma - "vivendo de bolsa" até o início deste ano, quando começou a trabalhar na MS Investimentos.

Entretanto, a própria Elaine afirma que viver de bolsa exige muito critério e disciplina. "Tem que ter um controle do método que você usa, e disciplina para seguir o seu método. Não se pode mudar de ideia no meio do caminho - se eu planejei A, tenho que cumprir A. Se eu fizer B, o resultado vai ser C", explica. "É a única maneira de se controlar retornos".

Bookmark and Share
Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.