Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

sexta-feira, janeiro 23, 2009

A história de Naji Nahas

Naji Nahas perde ação indenizatória e deve pagar R$ 2 milhões em honorários


A juíza Márcia Cunha, da 2ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, rejeitou o pedido

do empresário Naji Robert Nahas, que buscava indenização no valor de R$ 10 bilhões

por danos materiais e morais pela dilapidação de seu patrimônio mobiliário pelas

Bolsas de Valores do Rio e de São Paulo, e ofensa às honras objetivas e subjetivas

dele e das empresas também envolvidas.



Segundo o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), o empresário, conhecido

por seu envolvimento com Daniel Dantas em um dos maiores escândalos financeiros na

história do país, também foi condenado a pagar R$ 1 milhão de honorários

advocatícios para cada um dos grupos de advogados que atuaram no processo em

defesa dos réus.



A ação lista como autores as empresas Selecta Participações e Serviços e Cobrascol

(Companhia Brasileira de Óleos e Derivados), e o próprio Nahas, que alega ter

sofrido graves prejuízos com a ruína das Bolsas em 1989.Além da dilapidação do

patrimônio mobiliário dele e das empresas, sem seu devido consentimento e ciência,

ele também diz ter sido injustiçado e estigmatizado.



A juíza, no entanto, entendeu que Nahas não foi vítima dos fatos ocorridos no

mercado financeiro em junho de 1989, e que "se sofreu prejuízos daí resultantes,

estes são de sua inteira e única responsabilidade".



Afirmou ainda que o autor não juntou ao processo qualquer elemento mínimo de prova

quanto à propriedade das ações que diz terem sido confiscadas, o que torna a

petição inicial inepta seja pelo pedido vago e incerto, seja pela ausência

absoluta de documentos indispensáveis à propositura da ação. Para ela, "o pedido

de reparação de 10 bilhões de reais não tem qualquer respaldo e é incompatível com

a suposta carteira de ações dos autores que, segundo eles, valeria NCz$

300.000.000,00".



Dentre as partes favorecidas pela decisão da juíza, estão os advogados Hugo Ibeas,

que representou a Bolsa carioca, e Sérgio Bermudes, que atuou na defesa da

Bovespa. Eles devem receber um total de R$ 2 milhões do empresário em honorários

advocatícios.



Quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.